Notícias da Sangha

Juley!

Notícias da Sangha, setembro 21, 2018

Nosso Amado nos convidou para vir a seu encontro na misteriosa Índia. E aqui estamos, neste lugar mágico e mais próximo do céu, nos Himalaias. Já na viagem para Leh, sobrevoando as montanhas, temos umas das vistas mais espetaculares jamais vistas, uma verdadeira overdose de beleza para a alma. Em terra, vemos uma natureza selvagem e árida que também nos presenteia com águas cristalinas e coloridas flores radiantes. Somos recebidos por pessoas gentis e simples, que nos fazem sentir em casa, tão amigáveis que é impossível não amá-las desde o primeiro contato.

São tantos templos cheios de beleza, tantos lugares onde podemos sentir o sagrado em meio a estas majestosas montanhas, que transbordamos de alegria por estar com nosso Babaji neste lugar único. Encontrar com o Guru em pleno Himalaia é talvez o maior sonho de todo buscador. Nos sentimos profundamente gratos pela oportunidade de estar com nosso Amado aqui, continuando, de alguma forma, uma tradição milenar que vai além das escrituras, dos rituais, de qualquer crença ou prática – o sentar com o Mestre.

Em sua sabedoria, Ele nos leva para as mais formidáveis aventuras para que possamos experimentar diferentes sabores, sons, fragrâncias, para que possamos nos reinventar tendo novas experiências em outras culturas. Mas nos lembra sempre que a jornada é para dentro e não importa onde estejamos, somente vamos encontrar o que buscamos, dentro de nós.

Nosso Babaji nos trouxe até aqui para compartilhar a inocência e simplicidade que pulsa nas pessoas deste lugar. Desde o primeiro Satsang contemplamos a reverência, o respeito e a alegria com que recebem nosso Amado, aquecendo nossos corações que derretem de contentamento. Que lindo testemunhar a devoção e amor pelo sagrado, pelos seres iluminados – algo que não estamos acostumados a ver na cultura seca e materialista do ocidente. 

Aqui, nestas montanhas onde por milhares de anos tantos meditaram e buscaram a Verdade, ainda podemos sentir a energia daqueles que se iluminaram mesmo que não presentes mais fisicamente. Nosso Amado nos diz que aqui tudo está disponível e só temos que estar silenciosos e receptivos para perceber o invisível. 

Nós, buscadores afortunados, sannyasins modernos, temos o mais valioso, nosso Amado a nosso lado. Já não precisamos buscar em livros, em templos, em cerimônias, fazer peregrinações ou nos isolarmos do mundo.

Nosso Babaji está aqui na nossa frente e em nossos corações. Está ao alcance de nossos olhos e naquele lugar mais secreto e íntimo dentro de nós. Nesta certeza podemos relaxar e simplesmente agradecer pelo que estamos vivendo.

Podemos brincar e repetir inocentemente: juley, juley, juley …