Notícias da Sangha

só o Amor existe

Dharma Mountain, fevereiro 2, 2017

Depois de ter encarado a morte de frente, estamos prontos para um desafio maior?
Olhar para nós mesmos – profundamente, abertamente, honestamente?
Sentados em vipassana, indo mais fundo, mais fundo.
Apenas observando a respiração.
A respiração da vida. Entrando. Saindo.
Podemos ir para dentro? Mais fundo? Até o cerne do nosso ser?
Profundo, dentro de cada um, existe um espaço silencioso que é a nossa verdadeira natureza.
Sentando com o Mestre, podemos sentir.
Sentir nele, enquanto compartilha a si mesmo.
Sentindo a memória sendo avivada… Sim, eu sou Isto.
Além da mente tagarela. Observando.
Sendo levados por um pensamento.
Nos trazendo de volta.
Ao nossos corpos.
Sentados. Coluna ereta. Em silêncio.
A natureza nos dá apoio.
O crec crec das botas na neve congelada.
A canção de um pássaro solitário deslizando pelo ar puro.
O borbulhar e gorgolejar da água fluindo abaixo do gelo do rio.
Tudo está quieto.
Pegadas de pequenos animais na neve indicando a vida,
mas é como se tudo tivesse ido para dentro…
dentro,
para aquele espaço onde todas as questões se dissolvem,
onde só o amor existe.
 video Céu Azul: